quarta-feira, 27 de julho de 2016





Socorro está ali uma mãe. Segurem-me. Deixem-me dizer-lhe que o leite dela é fraco, que não alimenta. Deixem-me dizer-lhe que colo estraga. Deixem-me dizer-lhe que o bebé pode chorar até adormecer. Preciso avisá-la que não vai dormir nos próximos…. 20 Anos. Calma. Respirem fundo. Não é nada disto. Está tudo errado. Recomeça. Faz reset. Então vamos lá. O bebé é o ser mais perfeito que pode existir. Tem o cheiro mais suave. Os barulhos mais maravilhosos. O início nem sempre é um mar de rosas, é verdade. Então no primeiro filho as inseguranças são muitas e as “vozes” mais ainda. Temos de filtrar. Temos de ter confiança. “ Eu sou mãe, eu sei, eu sou capaz.” Os pais, os sogros, os avós vão dizer muita coisa. Vão dizer coisas incríveis. Coisas que tu nem calculas que existem. O leite materno é o melhor e único alimento até aos 6 meses de vida do bebé. Nem água, nem água com açúcar, nem vinho nem café. Depois aos poucos introduzem-se os alimentos. O mais natural possível, orgânicos, integrais. Verduras. Frutas. Para habituar o palato. O bebé dorme onde ele quiser como ele quiser à hora que quiser. Não existe “ ensinar a dormir” isso é uma tanga. Aos poucos as coisas vão se compor. O bebé começa a ter o seu próprio ritmo. Os pais começam a saber gerir o tempo da melhor forma que der. E não deixar o bebé a chorar não é opção. Pode é ser muito grave. Existe uma zona do cérebro, a região orbital central, que se desenvolve desde o nascimento até os 3 anos. Esta zona é a encarregada de controlar o stress e a ansiedade. Se durante esta etapa o bebê suporta doses elevadas de stress a sua capacidade de ‘lutar’ contra o stress ficará prejudicada para sempre. E isso o afectará para sempre. Tudo o que acontece em bebé ficará para sempre em nós. Por isso é tão, mas tão importante ter tanto cuidado na alimentação na educação na presença nos afectos. Por isso existem tantos adultos descompensados. Inúmeras doenças. E acordar de noite até é bom, assim podes ver o ser mais perfeito do mundo, e agradecer-lhe por ele existir. O que tenho para te dizer mãe, mamã… é que isto voa. É verdade é um cliché “ passa rápido”, “aproveita”… é verdade. Eu fechei os olhos e ele já tem dois anos. Apetece-me congelar cada fase, cada novidade. Cada palavra mal dita, cada gargalhada. Às ”vozes” que nos atormentam e nos diminuem enquanto pais… é fácil sorri diz que sim. E faz o que o teu coração sente que deve fazer. 

Sem comentários:

Enviar um comentário